O pente-fino do governo nos benefícios do INSS cortou os pagamentos a 170 mil segurados no primeiro semestre de 2019 em todo o país. Em São Paulo, governo deixou de pagar 33 mil aposentadorias, pensões e auxílio a segurados.

A economia mensal estimada é de R$177 milhões com os cortes de pagamentos, considerando dados nacionais. Em um ano, o governo avalia que deixará de gastar R$2,1 bilhões.

Os motivos que levaram à maioria dos cancelamentos foram: Não realizar prova de vida do auxílio-doença e do BPC (Benefício de Prestação Continuada), não atender à convocação do pente-fino (principalmente do BPC), voltar ao trabalho (caso de auxílio-doença), suspeita de óbito e acumulação indevida de benefícios.

Fique atento. Quem trocou de endereço deve atualizar o cadastro no INSS. Organize e conserve documentos que serviram de base para comprovar o direito, como: Carteira de Trabalho com anotações originais, carnês de contribuição, laudos, relatórios e exames médicos (para quem recebe benefício por incapacidade).

Como defender o seu benefício.

Quem for notificado pelo INSS pode se defender. Se necessário, é possível fazer um recurso pelos canais de contato do INSS (Telefone 135, Internet).

Depois de analisar a defesa, o INSS ainda pode suspender o benefício. Nesse caso, o segurado terá 30 dias para recorrer à Junta de Recursos.

Caso a Juta de Recursos não aceite o argumento do segurado, o pagamento é cancelado.

Segurados com o pagamento cancelado pelo INSS ainda podem recorrer à Justiça.

Fonte: Agora 26/07/2019

Como podemos ajudá-lo?

Nosso objetivo é ajudá-lo em todos
assuntos relacionados ao Direito Previdenciário.

Entre em Contato