Aposentadoria de Empresários

É certo que o empresário precisa se dedicar ao seu negócio, administrando, executando e monitorando os processos da sua empresa. Isso certamente consome tempo e energia, fazendo com que o mesmo deixe em segundo plano o planejamento da sua aposentadoria junto ao INSS.

É muito comum empresários deixarem de contribuir para o INSS por alguns períodos. Muitas vezes o empresário efetua o pagamento da contribuição previdenciária de seus empregados e, por não retirar o pró-labore, acabam por não recolher suas contribuições de forma a custear a própria aposentadoria. A ausência destas contribuições certamente irá fazer falta no momento de requerer seu benefício junto ao INSS.

Esse problema pode ser resolvido mediante a regularização desses períodos, quitando-se o débito o quanto antes, para computo do tempo de contribuição e dos salários na concessão da aposentadoria.

Porém, antes de regularizar esses períodos é necessário avaliar se realmente é vantajoso, pois o INSS cobra juros e multa sem respeito à lei e a decisão do STJ, que definiu pela ilegalidade de cobrança de juros e multa para períodos anteriores a novembro/1996. Essa cobrança pode ser facilmente afastada pela Justiça e reduz em até 70% o valor cobrado pelo INSS.

Aposentadoria pela regra 85/95

Aplicada na aposentadoria por tempo de contribuição, a regra 85/95 é a soma do tempo de contribuição e idade, sendo criada em 2015 para excluir o Fator Previdenciário.

A partir de 2018 a pontuação subirá gradualmente, um ponto a cada 2 anos, até alcançar em 2026 o correspondente a 90/100 pontos.

Como podemos ajudá-lo?

Nosso objetivo é ajudá-lo em todos
assuntos relacionados ao Direito Previdenciário.

Entre em Contato